Dom Óscar Romero e os santos

Óscar Arnulfo Romero Galdámez é um mártir de cristo na América Latina. Seu martírio foi precedido da condição de profeta. Ergueu sua voz para defender o povo de El Salvador da tirania dos poderosos. Tratou o povo simples como "pequeninos irmãos" e sua voz profética em defesa do povo ecoa até hoje através dos vales de lágrimas da injustiça que ainda corre solta pelo nosso continente. E fez a sua defesa incondicional dos pobres e do povo através dos instrumentos da não-violência ativa, sendo comparado a Mahatma Gandhi e Martin Luther King.
Por ser profeta, por clamar contra a injustiça, por defender o povo injustiçado e oprimido em plena guerra civil salvadorenha, Dom Óscar Romero foi covardemente assassinado durante a missa, em San Salvador, no dia 24 de março de 1980. Foi arcebispo da capital salvadorenha por pouco mais de três anos.
Dom Óscar Romero é um legítimo mártir da paz. Mas não daquela paz que não se envolve, que se retira das lutas e que se isola sem compromisso. O seu compromisso com a justiça e a igualdade a torna uma paz de enfrentamento, que martiriza. A paz que oferece a outra face, é aquela que chama a violência para si, absorvendo-a em defesa das vítimas.
Assim, o mártir da paz, da América Latina, de El Salvador entra para a lista dos santos mártires da igreja, sendo beatificado no sábado, dia 23 de maio. Sua santidade lhe advém da ousadia de ter levado seu batismo (que torna todos os cristãos santos, segundo Lutero) a sério e ter vivido sua fé até a última consequência, pagando sua fidelidade ao evangelho com a própria vida.
Óscar Romero encaixa-se com perfeição no papel que Martim Lutero reservou aos santos da igreja em todos os tempos: Eles são exemplo, pois a sua vida e obra apontam para Cristo como o único mediador e salvador. Os santos são inspiração para a nossa fé e a vida deles tem a função de oleiro para moldar o barro da nossa vida.
Óscar Romero é oleiro que nos molda e desafia a não mediocrizar nossa fé numa preocupação egoísta pela nossa salvação pessoal. Óscar Romero aponta para a nossa missão profética neste mundo, demonstrando que a fé não combina com injustiça, com ausência de paz, opressão, exploração e dor. Óscar Romero, segundo a compreensão de Lutero, "impulsiona Cristo", com a sua vida e com o seu martírio.
Com sua beatificação, ele entra para a lista dos mártires cristãos do século 20, como Dietrich Bonhoeffer e Martin Luther King; mas também para a lista dos santos que Deus escolheu sem a igreja, como Mahatma Gandhi, por exemplo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”