Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

Dia dos Namorados com Lutero e Catarina

Imagem
Quer um Dia dos Namorados melhor do que este? Começa hoje, dia 12 de junho, e vai até domingo, dia 14, uma festa muito especial na cidade alemã de Wittenberg. Pela 21ª vez uma grande festa popular lembra o casamento de Martim Lutero com Catarina von Bora. A festa reúne mais de 100 mil pessoas na cidade. Até casamentos de verdade são celebrados e também há um grande desfile de gente com trajes da época de Lutero. Martim e Catarina também desfilam pelas ruas de Wittenberg.
O reformador casou com a ex-monja Catarina no dia 13 de junho de 1525. A cerimônia foi no antigo Mosteiro dos Agostinianos, que Lutero recebeu de presente de casamento do príncipe e virou a residência da família Luther. Duas semanas depois, o casamento foi anunciado publicamente e houve a festa do casamento. Para muitos, o casamento de Martin e Catarina foi o ponto culminante da rebelião do ex-monge contra a igreja católica.
(As informações são do boletim digital da Comissão Interluterana de Literatura, um grupo dev t…

Os haitianos e a rejeição dos descendentes de imigrantes

Imagem
O colunista da Zero Hora, Tulio Milman, escreveu no último dia 23 de maio um texto certeiro sobre o comportamento do "Sul Maravilha", erguido sobre o sangue e o suor de imigrantes dos mais diferentes matizes, mas que agora discrimina os haitianos. Imigrantes discriminando e rejeitando imigrantes... Como neto e bisneto de imigrantes alemães, assino embaixo do texto de Milman. Se precisam de um argumento bíblico em defesa dos haitianos, então tomem este que segue. É o principal argumento de Javé (Deus do Antigo Testamento) em defesa dos estrangeiros em Israel. O povo de Deus também foi estrangeiro (e escravo!) no Egito: "NÃO MALTRATEM, NEM PERSIGAM UM ESTRANGEIRO QUE ESTIVER MORANDO NA TERRA DE VOCÊS. LEMBREM QUE VOCÊS FORAM ESTRANGEIROS NO EGITO" (Êxodo 22.21). Receber bem e dar oportunidade de trabalho e inserção aos haitianos é nosso dever moral, como filhos e netos de imigrantes. Muitos de nossos antepassados venderam tudo o que lhes restava por uma passagem rumo…