Perguntas e Respostas

Há um momento sublime no encontro entre duas pessoas, que é a suspensão completa da tagarelice. Silêncio litúrgico. Encontro total, em aceitação e respeito plenos. Nada de perguntas. Nada de respostas. Por que as respostas são tão imprescindíveis, inadiáveis, inolvidáveis? Malditas as perguntas que não querem calar! Por que tantas perguntas que eu não posso, não sei e não quero responder? Pior que as suas perguntas é a minha própria necessidade de ser inquirido. Por isso, vou esforçar-me para não dizer "você deve estar se perguntando...". Vamos combinar assim, eu não lhe faço perguntas e você não exige de mim respostas. Vamos permanecer apenas caminhando e contemplando. Eu sendo plenamente eu, você completamente você. Vamos seguir assim, lado a lado, em silêncio, seguidos apenas por nossas pegadas... 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”