O cavalo está encilhado



A mobilização de milhões de pessoas no maior evento já ocorrido na praia de Copacabana foi um espetáculo impressionante, que reduziu todas as críticas de sempre a gravetos. A 28ª Jornada Mundial da Juventude foi um absoluto sucesso. Falaram dos gastos, do uso de dinheiro público, de que o evento fortaleceu o poder do papa... Tudo isso e muito mais perdeu o brilho, diante do esplendor do encontro.

Como mero elemento de comparação, a missa de encerramento da JMJ na praia de Copacabana reuniu quatro vezes o número total de membros da IECLB num único evento. E o vulcão de sentimentos e emoções, de fé e de esperança, de louvor e espiritualidade, presentes em eventos como o Acampamento Repartir Juntos ou o Encontrão Nacional, ou mesmo em retiros menores, estava lá em Copacabana, com a sua energia fascinante multiplicada por mil.

É o quanto basta, para nos sentirmos unidos a essa massa de cristãos e cristãs que partilham conosco tanto evangelho em comum que soa falso atirar velhas pedras. Afinal, elas batem num escudo de beleza e de brilho que derrete granito. Nem mesmo faltou uma das frases preferidas das igrejas protestantes, o velho paradigma da “eclesia semper reformanda”, que saiu da boca de ninguém menos que do próprio papa Francisco.

Em resumo: foi um show! Mesmo que digam que foi fogo de palha, que não vai levar a nada, que é mais do mesmo, que só fortaleceu velhos paradigmas de uma igreja em descrédito... Nada disso reduz o meu sentimento – e o de muitos – de que este encontro vai deixar marcas perenes na espiritualidade de uma geração inteira, muito carente disso, aliás, e que construiu pontes bem significativas entre cristãos e cristãs de diferentes confissões.

Os tão almejados ventos da abertura ecumênica voltam a soprar. É hora de aproveitar, porque a mesa do diálogo está posta. Se perdemos o último, este é o cavalo encilhado do ecumenismo passando de novo. Vamos montar nele. A hora é agora.

Comentários

  1. Claudete Beise Ulrich29 de julho de 2013 10:01

    O tempo é propício...500 anos do movimento da reforma...Melanchthon..reformador...um ecumênico por excelência...Confissao de Augsburgo...um belo exemplo da história da necessidade do diálogo e do caminhar em conjunto...Há uma necessidade premente nas pessoas de uma espiritutalidade ligada com a vida em sua concretude...Neste sentido,há procuras, movimentos? Conseguimos caminhar junto na busca por respostas?
    Clovis, tenho este mesmo sentimento ...primeiro os movimentos nas ruas em várias partes do mundo...Indignai-vos...Outro mundo é possível?
    Agora...milhoes de jovens/pessoas na celebracao/na missa de encerramento da JMJ...Os novos tempos, sem dúvida, nos convocam para a Acao e Reflexao!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Claudete! Precisamos unir forças por um outro mundo possível...

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”