O assassinato de Mahatma Gandhi



A história é pródiga em produzir mártires. Os preferidos são justo os que fazem a diferença e têm biografia caprichada. 

Foi isso que aconteceu num dia 30 de janeiro, no ano de 1948 em Nova Déli, na Índia. Era fim de tarde, quando três tiros ecoaram em meio à multidão. Mahatma Gandhi caía ao chão, mãos cruzadas sobre o peito. 

“Oh, Deus!” foram suas últimas palavras. E ele morria ali mesmo diante da multidão, aos 79 anos de idade, manchando de sangue o khaddar, a manta branca tecida por ele mesmo na sua roca de fiar. Os gritos da multidão comovida e indignada misturaram-se aos seus fracos e derradeiros gemidos. O apóstolo da satyagraha, a não-violência, fora executado a bala. 

E a humanidade perdeu uma de suas criaturas mais sublimes. O seu legado se inscreve na história como exemplo eterno. Que a memória de Gandhi jamais seja apagada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”