Alguém aí se lembra da Acaresc?



 A Acaresc instalou lavouras demonstrativas em Blumenau.



Se você falar com algum parente seu que ainda atua na roça e sobrevive dela com a sua família, ele vai ter boas histórias para contar dessa tal de Acaresc. Ela não existe mais, o que é uma pena. Daqui há pouco, também não haverá mais agricultores familiares. Estão em extinção, como a Acaresc.

Pois essa tal de Acaresc era a Associação de Crédito e Assistência Rural do Estado de Santa Catarina. Durante 35 anos ela foi o órgão oficial de extensão rural no estado, sendo posteriormente sucedida pela Epagri e a Emater. Criada em 1956, a Acaresc frazia extensão rural e promovia o desenvolvimento rural. Tudo começou nos vales do rio do Peixe e do Itajaí. O slogan da Acaresc era “a serviço da família rural catarinense”.

Ontem, dia 18 de dezembro, a Presidência da República deu a largada num projeto muito semelhante à Acaresc, agora para todo o Brasil. A esperança é que, finalmente, se tenha pelo menos um olho voltado para a agricultura familiar neste país. A Acaresc terá uma similar nacional, com o nome de Anater.

A presidenta Dilma Rousseff sancionou o projeto de lei que cria a Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), instituição que tem como principal objetivo qualificar e ampliar os serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) no Brasil.

“A articulação entre a Assistência Técnica e Extensão Rural e a pesquisa agropecuária promoverá o aumento da produtividade e da renda dos agricultores familiares, além de facilitar o acesso às políticas públicas”, explica o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas.

Em 2014, a agência terá aproximadamente R$ 1,2 bilhão para a prestação dos serviços de Ater em todo o País. A criação da Anater institucionaliza a Política Nacional de Ater, tendo como princípio a universalização da política de Ater para o conjunto de agricultores familiares de todo o País, construindo novos conhecimentos.

Entre as atribuições da Anater estão o credenciamento de entidades responsáveis pela prestação de serviços de Ater e a formação de técnicos para que as tecnologias existentes cheguem ao agricultor. A Agência deverá contratar e disponibilizar serviços de Ater, possibilitando ao produtor acesso à tecnologia e inovação, bem como monitoramento e avaliação dos resultados desses serviços.

Um dos principais objetivos da Anater é garantir que um maior número de produtores rurais tenha acesso às tecnologias e pesquisas desenvolvidas no País para o setor agropecuário, para que haja aumento da produtividade e renda das famílias que vivem no campo, além de ampliar o acesso da população rural às políticas públicas.

Comentários

  1. Lembro-me sempre, e com muito carinho, papai (Rolf Harry Adalbert Schweiss) trabalhou lá por mais de 30 anos. Um dos primeiros (pioneiros ?) que com muitos outros tantos levaram progresso e qualidade de vida ao Homem do campo.
    Fica um abraço, àqueles que com ele fizeram de Santa Catarina o Estado que hoje é.
    Carlos A Schweiss.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”