A Reforma protestante e as modernas tecnologias de comunicação

Hoje, 31 de outubro, é o Dia da Reforma Protestante. O vulcão entrou em erupção em 1517. Ele já vinha cuspindo lava há anos, cada vez mais alto e com maior vigor. A convulsão protestante fez irromper uma torrente incontrolável. Imagino que nem mesmo o martírio de Lutero teria contido a avassaladora torrente de transformação que se pôs em movimento. O detalhe do martelo e do prego com um resumo da grita geral por novos ventos nem foi tão importante assim quanto se quer hoje, mas é como uma espécie de logomarca da Reforma. Tudo começou ali, naquela folha de papel.

Mas ela não se tornou tão importante só porque, supostamente, foi afixada na porta hoje tão famosa. Aquele importantíssimo papel espalhou-se porque, num gigantesco trabalho de formiguinha, foi se espalhando pela Europa até chegar a Roma. 

Um dos instrumentos mais importantes neste processo foi a tipografia inventada por Gutenberg, facilitando enormemente a tarefa de multiplicar o documento, que outrora tinha que ser realizada no bico de pena. E esta é uma lição que as igrejas oriundas da Reforma não podem menosprezar.

As igrejas da Reforma não podem deixar de valorizar as modernas tecnologias da comunicação, como a internet e as redes sociais. Veja o que o reformador Martim Lutero afirmou sobre a invenção de Gutenberg, que foi fundamental para a propagação dos ideais reformadores no século 16: "A impressão é o último dom de Deus e o maior. Por seu intermédio, Deus quer dar a conhecer a verdadeira Religião a toda a terra e expandi-la em todas as línguas. É a chama que brilha antes da extinção do mundo."

Com esta frase como pano de fundo, o uso determinado, programático e estratégico das redes sociais pelas igrejas não pode continuar sendo apenas vinculada a iniciativas particulares de algumas lideranças. É necessário que as igrejas embarquem nessa política comunicacional de cabeça e que seja considerada parte importante do seu planejamento estratégico. 

O Facebook, o Twitter e todos os seus correlatos são, para as igrejas da Reforma na atualidade, a porta da nossa igreja do castelo de Wittenberg. Portanto, prego e martelo virtual na mão, afixemos neles as nossas teses sobre os desafios do nosso tempo!

Um abençoado dia da Reforma!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”