Amarildo é um caso de rotina na polícia

O desaparecimento de Amarildo de Souza na favela da Rocinha indigna a sociedade brasileira há dias. Levado pela polícia em mais uma óbvia confusão baseada na truculência policial e no histórico racismo de condenar negros e pobres somente pela aparência, Amarildo desapareceu. E foi levado sem ter qualquer ficha criminal contra ele. Como o Brasil está num momento de sociedade mobilizada, protestos e muita cobrança popular colocaram a história de Amarildo nas ruas.

Mas, segundo a Anistia Internacional, a história de Amarildo somente virou notícia por uma dessas coincidências estranhas. Uma história pescada entre muitas. Na verdade, bota muitas nisso. A entidade internacional de defesa dos direitos humanos afirma que a polícia brasileira é despreparada, truculenta e preconceituosa. Esses ingredientes contribuíram para o misterioso desaparecimento de 90 mil brasileiros nas mesmas condições de Amarildo nos últimos 20 anos.

Como não deu para explicar convincentemente o desaparecimento de Amarildo, a polícia ficou numa saia justa. Mas com milhares de casos semelhantes nas costas segundo a Anistia, essa história é dramática parte de uma lamentável rotina d\na nossa polícia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”