Camisinha contra estupradores

A sul-africana Sonette Ehlers desenvolveu um instrumento perfeito para inibir o alto índice de estupros em seu país. Trata-se de uma camisinha feminina especial, que inibe a ação dos agressores: a Rape-aXe. A inventora atua há vários anos com vítimas de abuso sexual e a frase de uma dessas vítimas a inspirou: “Eu gostaria de ter dentes lá embaixo”.
A ideia de uma vagina que morde sempre aterrorizou os homens. Tanto é assim que, logo depois que ela apresentou a sua invenção numa cidade, o índice de estupros caiu a zero por três meses. “ homens ficaram com medo de que você tivesse deixado algumas dessas camisinhas por aqui”, disse-lhe o chefe da polícia local.
O medo se justifica, pois cometer estupro em uma mulher que esteja usando a tal camisinha tem consequências devastadoras para o agressor. Na hora em que ele tentar tirar o pênis, centenas de farpas perfuram a pele e a camisinha sai junto, só podendo ser retirada em um procedimento cirúrgico.
Feita de látex e plástico, as farpas são colocadas na parte interna de tal forma que a camisinha não pode ser retirada do órgão sexual masculino sem a ajuda de um médico. Com a camisinha presa ao pênis, o homem sente muita dor e sequer consegue urinar. O uso não é considerado agressão, porque a violência é do estuprador e a camisinha defende a vítima.
O preservativo anti-estupro já está em produção na Malásia e sua distribuição na África do Sul será gratuita para mulheres em situação vulnerável, especialmente durante a Copa do Mundo. Depois disso, deverá ter distribuição mundial.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”