Mitt Romney, outro incendiário sentado na janela



Não faz nenhum sentido as autoridades americanas declararem seu repúdio a ações e filmes que incitem o crescente conflito entre o ocidente cristão e o oriente muçulmano. Está mais do que evidente que, desde 11 de setembro de 2001, foram eles e sua eterna propensão para a guerra e o confronto fundamentalista que criaram o monstro que ora se agiganta.

A fala do candidato Mitt Romney, gravada num vídeo flagrado num encontro com doadores milionários no começo do ano, mostra o que realmente passa na alma dos que se candidatam a galgar o mais alto posto no comando do planeta. Gente preconceituosa, fundamentalista e que não valoriza sequer seu passado não-violento, personalizado em gente como Martin Luther King.

Romney afirmou que 47% dos americanos vão votar em Obama porque se tornaram dependentes do governo e não assumem a responsabilidade. Na gravação, divulgada por uma revista eletrônica americana, o republicano diz ainda que não está preocupado com essas pessoas, que, segundo ele, não pagam impostos. O Partido Democrata, de Obama, reagiu dizendo que o republicano desdenhou de metade da nação.

Veja o vídeo e sinta o arrepio na espinha que eu senti. Quem desdenha das vítimas do colapso de Wall Street, considerando-os “dependentes” da ajuda do governo, não está nem aí para as revoltas que pipocam em todo o planeta contra a arrogância personalizada na bandeira americana. Os arrogantes desdenham seus próprios compatriotas, sem a menor cerimônia!

Estamos nas mãos de loucos incendiários, que vão colocar fogo no Planeta. E não são somente diretores de cinema estabanados querendo se divertir. São os caras que querem estar bem na janela do ônibus, de preferência, no banco do motorista com o volante do mundo nas mãos. Socorro!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”