Evita, um dos grandes mitos do século 20


No dia 26 de julho de 1952 morria Eva Perón. Depois de um intenso sofrimento por causa de um câncer uterino, a “Mãe dos Descamisados” morria aos 33 anos, causando uma comoção nacional jamais vista na América Latina. Seu velório durou 14 dias, em Buenos Aires, sendo acompanhado por milhares de argentinos que se comprimiam nas ruas e praças para se despedir dela.

Seu corpo foi embalsamado e foi exposto para visitação pública até 1955, quando Perón foi derrubado do poder pelos militares, e o corpo de Evita foi roubado e enterrado em Milão, na Itália. Dezesseis anos mais tarde, ele foi exumado e transladado para a Espanha, onde Perón vivia no exílio, sendo entregue a ele. Seu corpo parecia uma boneca de porcelana, tão bem-feito havia sido seu embalsamamento. Em 1973 Perón retornou à Argentina e foi reeleito presidente, agora casado com Isabelita Perón, que trouxe o corpo de Evita de volta à Argentina e o sepultou no cemitério da Recoleta, no mausoléu da Família Duarte.

O túmulo de Evita é visita obrigatória para quem vai a Buenos Aires, bem como o cemitério da Recoleta, um gigantesco monumento à vaidade humana, que mostra a opulência de uma era passada dos milionários da carne argentina, que ousaram reconstruir Paris na capital portenha. Os excessos desta elite ainda hoje podem ser vistos e comprados em inúmeros antiquários. O próprio cemitério é uma demonstração de fé no dinheiro e no poder, com requintes dignos dos faraós.


Evita foi e continua sendo, ao lado do cantor de tango Carlos Gardel, a maior figura lendária da Argentina. Sua impressionante história de superação, astúcia política e veia filantrópica a transformaram numa heroína nacional. Vale a pena digitar o seu nome na Wikipédia e passar os olhos por sua biografia. É o supra-sumo do caudilhismo travestido de pura beleza e tragédia. No teatro, o musical “Evita”, de 1978, é reconhecido por sua mais bela canção, “Don’t kry for me, Argentina”, gravada pela primeira vez em 1976 por Julie Kovington, e foi transformado em filme em 1996 com Madona no papel de Evita.

O belíssimo musical “Evita” foi produzido por Andrew Lloyd Webber, produtor musical inglês e um dos maiores compositores teatrais do século 20. Além de Evita e outros 15 musicais, Webber foi o criador do espetacular “Jesus Christ Superstar”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”