Natal é só consumo?



O arcebispo católico de Bamberg, Alemanha, Dom Ludwig Schick, dirigiu petição à cadeia de lojas de eletrodomésticos “Media Markt” para retirar do ar sua polêmica campanha publicitária, “O Natal é decidido embaixo da árvore”. O slogan é considerado inaceitável para cristãos e outros segmentos da sociedade. O decisivo do Natal não se resume à árvore ou aos presentes, “mas o nascimento de Cristo”, explica o arcebispo. “Por meio desta campanha publicitária, a mensagem do Natal é levada ao absurdo”, diz Schick.



O arcebispo elogiou expressamente a campanha que rola no Facebook, com o título “O Natal é decidido na manjedoura”, que se opõe ao natal comercial e já conta com mais de 15 mil apoiadores. Segundo a rede de lojas, entretanto, a sua campanha não se refere a símbolos religiosos e não tem a intenção de reduzir a festa cristã a um acontecimento que se adapta ao gosto de cada um.



Segundo o prelado católico de Munique, Wolfgang Bischof, entretanto, a campanha reduz a festa a um evento meramente comercial e ligado ao consumo. Mas também há vozes dentro da igreja que conseguem entender e aceitar a campanha, por reproduzir o que é realidade: as pessoas compram presentes e realizam a troca sob a árvore na noite de Natal. Também é lá, debaixo da árvore, que se encontra a manjedoura com a família sagrada e seu recém-nascido filho e salvador da humanidade. Segundo essa visão, não há mais como, hoje em dia, separar essas duas realidades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”