Um pouco do próprio veneno


O primeiro ano do governo de Dilma Rousseff está chegando ao fim e foi um período difícil, com a oposição tendo como único plano de ação desmoralizar o governo. Denúncias e mais denúncias, com pouquíssimas provas do que se levantou até agora, tudo com o claríssimo objetivo de empurrar o governo para o cadafalso.

Agora experimentam um pouco do próprio veneno. O livro do jornalista Amaury Ribeiro Jr., com o título "A Privataria Tucana", coloca o dedo no centro da ferida aberta dos oito anos de privatizações do governo FHC. O livro teve a primeira edição de 15 mil exemplares esgotada no dia do seu lanbçamento. Até agora já vendeu mais de 70 mil exemplares.

Assim que entrou em circulação, a internet das redes sociais entupiram de comentários e caixas-postais eletrônicas lotaram. O que incomodou muita gente, e com razão, foi a posição silente dos denominados veículos tradicionais de mídia a respeito do livro, do seu conteúdo e dos documentos anexados.

Em todos os "casos" de ministros até agora demitidos, alguns deles claramente vítimas de um superbombardeio por parte dessa mesma mídia, com verbos sempre no futuro do pretérito (teria, seria, haveria etc.), não saíam de seus telejornais e jornais impressos enquanto continuassem nos seus cargos. Quando caíam, as metralhadoras escolhiam aleatoriamente um novo alvo. Isso tem sido assim por 11 longos meses. Com relação ao livro, apenas notas, de preferência com pronunciamentos do detestável Álvaro Dias que, sem ler o livro, falou em “matérias requentadas”.

Serra, que muitos consideram o próprio paladino do bem, chamou o livro de "lixo". O seu maior medo era que ele fosse lançado durante a campanha presidencial. Foi poupado até agora. A verdade é que o livro está recheado de documentos altamente comprometedores, comprovando um esquema de propinas, desvios e lavagem de dinheiro em paraísos fiscais envolvendo as privatizações praticadas no tempo em que ele era ministro e FHC era o presidente.

Particularmente a coitadinha da filha de José Serra, Verônica, que até chorou diante das câmeras do JN, porque teria sido vítima dos inescrupulosos petistas envolvendo familiar de candidato na sua sórdida campanha de difamação... Pois é... Está envolvida até o pescoço.

O veneno que agora bebem é o mesmo que estão ministrando em doses cavalares. Mas não é pelo bem do Brasil, não. E tem muita gente que se ilude com isso. O que está por trás é a disputa por voltar ao coxo e continuar a privataria, a rapinagem e muitas outras manobras das quais são grandes especialistas e tradicionais usuários.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”