Galo Verde dá primeiros passos no Brasil



A partir da esquerda, estou com o pastor Renato, o padre Raul e o pastor Emílio.

O Galo Verde é um projeto ecumênico de implantação, monitoramento, auditoria e premiação de iniciativas ambientais em igrejas na Alemanha. Já no ano passado, um grupo de pessoas ligadas à IECLB sonhou em criar algo parecido no Brasil, a partir do tema do ano “Paz na Criação de Deus”.
Aqui, neste blog, eu publiquei diversos posts que tiveram uma fantástica repercussão e foram diretamente o principal fator de motivação para esta reunião de ontem, 22 de outubro. A IECLB começa a ir além do simples debate da questão ambiental em grupos e palestras, para passar a ações concretas e amigas da natureza. Não adianta pedir que a sociedade cuide do meio-ambiente, se nós continuamos desperdiçando energia, usando descartáveis ou não praticando a separação do lixo, por exemplo. 

A partir da esquerda, o pastor Hans Zeller, o pastor sinodal Breno Willrich, eu e o pastor Renato Becker.

Na manhã de ontem, dia 22 de outubro, na sede do Sínodo Vale do Itajaí, em Blumenau, aconteceu a primeira reunião de encaminhamento do Projeto “Galo Verde” no Brasil. Participaram da reunião o pastor Renato Luíz Becker, o padre Raul Kestring (ICAR), o pastor Dr. Emilio Voigt, o biólogo e ambientalista Dr. Nélcio Lindner (FURB), o pastor sinodal Breno Carlos Willrich, eu, o pastor Hans Zeller (Igreja Luterana da Baviera) e a pastora Reinhild Schneider (visitante da Alemanha). O encontro fez olhos e corações brilharem de entusiasmo. O pessoal está empolgado com a proposta.

A partir da esquerda o biólogo Nélcio Lindner, a pastora Reinhild Schneider e o pastor Hans Zeller.

A reunião de ontem foi agendada para coincidir com a presença do pastor Zeller no Brasil para participar do Concílio da Igreja em Chapecó como referente da Igreja Luterana na Baviera para a América Latina. Zeller se dispôs a ser o contado com o Galo Verde da Alemanha e a estabelecer uma parceria com a Igreja na Baviera para dar sustentabilidade ao projeto brasileiro. Estamos bem no começo, mas também cientes de que o estágio do Galo Verde na Alemanha tem uma trajetória de mais de duas décadas. 

O objetivo é desenvolver conscientização sobre as questões ambientais em nossas comunidades e instituições, realizar o monitoramento de projetos ambientais e promover premiação de ações concretas.  Há um caminho longo a percorrer. Mas, um dia, a gente tem que começar.

O padre Raul Kestring disse que tem o aval do Bispo para se envolver no projeto e, como responsável pelas questões de ecumenismo na Diocese de Blumenau e integrante do Grupo Ecumênico de Blumenau, tem muito interesse em tornar este um projeto de caráter interconfessional. Foi proposto também convidar um representante da Igreja Assembleia de Deus. Ele estava num painel, no ano passado, em que a IECLB e a ICAR também estiveram, junto com ambientalistas, para tratar da CF e do tema da igreja, em relação à questão ambiental. Vamos ter que refazer o laço com ele.

O professor Nélcio Lindner se mostrou animado com o projeto e se dispôs a auxiliar com apoio técnico e com eventos de formação e conscientização ambiental nas comunidades e nas escolas. Para isso, pretende envolver outros ambientalistas no projeto. Ele lembrou de Lauro Bacca, Beate Frank, Lúcia Sevegnani e outros nomes. Tudo gente que veste a camisa com competência e ousadia.

A coordenação da parceria e do contato com o Galo Verde na Alemanha e com a Igreja da Baviera foi assumida pelo Sínodo Vale do Itajaí, através do grupo PARCERIA. O grupo de apoio decidiu marcar uma segunda reunião para o dia 13 de novembro, para elencar os problemas a serem abordados na primeira fase do projeto e estabelecer a estratégia de ação.  Vamos contatar mais pessoas para incrementar e diversificar a caminhada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”