Yes, we can!



Esta imagem tem um significado único. É a vitória incontestável sobre a segregação, o racismo e a sociedade do preconceito. O homem sentado no ônibus é a pessoa mais importante nos Estados Unidos da América há quatro anos. Reelegeu-se presidente da nação mais poderosa do mundo. Pouca gente no mundo de hoje ainda repara tratar-se de um homem negro.

Aparentemente, não há nada demais em ver Barak Obama sentado num ônibus antigo. Mas este ônibus está no Museu montado em homenagem a uma das maiores lutas pelos direitos civis jamais vista no continente. Nomes como Rosa Park, Bayard Rustin, Martin Luther King Jr., e muitos outros estão ligados a esta luta. Neste ônibus só sentava gente branca. Rosa Park foi expulsa de dentro deste mesmo ônibus e presa porque não cedeu o seu lugar a um branco.

Barak Obama é resultado da desobediência civil de Rosa Park. Nem mesmo o mais determinado negro envolvido nos boicotes aos ônibus que permitiu derrubar a lei segregacionista dos anos 1960 nos EUA imaginaria que um negro, além de poder sentar-se ao lado dos brancos neste ônibus ou nos bares da cidade, um dia poderia sentar-se na cadeira de Abraham Lincoln, na Casa Branca.

Não, Barak Obama não fez, não faz e não fará milagres. Mas ele, mais do que qualquer ser humano neste planeta, pode sentar-se simbolicamente neste ônibus em que sua gente foi segregada e afirmar: “Yes, we can!”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”