Marco Feliciano não nos representa



Enviei o texto abaixo ao Jornal de Santa Catarina e foi publicado na edição de hoje, dia 11 de abril, na página de opinião (link para o artigo aqui). Segue o texto na íntegra:

A fanfarronice ostensivamente absurda do “deputado” e “pastor” Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara já se transformou em vergonha internacional. Além de tornar o Brasil uma piada mundo afora, ele transforma um espaço destinado à defesa de pessoas historicamente excluídas em púlpito para a sua teologia fundamentalista e ultrapassada, que usa a Bíblia para discriminar e transforma Deus em vingador de hereges. O Deus da cristandade é sinônimo de amor.

A propósito da declaração de Lennon – uma das frases mais mal interpretadas da história contemporânea –, o Cristianismo é opção religiosa de apenas um sexto da humanidade e, portanto, não há nenhuma blasfêmia em dizer que os Beatles são mais conhecidos que Jesus Cristo.

Mais esta estultice de Feliciano mostra que já basta. Ele não me representa e não representa 70% dos cristãos brasileiros de todas as confissões. Suas declarações atentam contra décadas de pensamento teológico marcado por inclusão, respeito, ecumenismo e amor ao próximo. As manifestações de repúdio a Feliciano vão da Convenção Batista ao Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, passando pela Anistia Internacional. Repudiamos o seu exibicionismo racista e homofóbico.

O espetáculo pirotécnico em torno de Feliciano somente serve para promover um partido que tem o fundamentalismo religioso no seu programa político. É só mais uma demonstração de que, neste país tão apegado às coisas rasas, os conchavos se sobrepõem ao bom senso até na administração pública.

Temo que, no futuro, gente como ele transforme o Brasil num estado fundamentalista cristão. O Brasil é uma democracia, não uma teocracia, e é altamente recomendável que cuidemos para que a nossa Constituição siga garantindo um estado laico.

Clovis Horst Lindner, Pastor da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil

Comentários

  1. Um dia o estado laico queimara nossas biblias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E enquanto isso não acontece, muitos leitores da bíblia se empenham em queimar o Alcorão, condenar a fé dos outros e perseguir quem não consideram "normais" ou aceitáveis segundo seu conceito do que é normal. Um dia, esse sociedade que emprega o fundamentalismo, vai queimar também os cristãos, os muçulmanos, os aleijados, porque esse tipo de pensamento foi capaz de construir os campos de concentração, e também fez as cruzadas...

      Excluir
  2. Quero ver dia que dois homens pedirem para se casarem na igreja, o que você como pastor irá fazer? Usará qual versículo da biblia, Santa hipocresia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo, antes de julgar a bíblia, leia! Como você pode julgar algo que não conhece? Quais seus fundamentos sobre algo que você não leu?
      Aproveitando para sanar sua dúvida, leia o livro de Levíticos, mais especificamente o capítulo 20.
      Abraço, que a paz do Senhor seja contigo.

      Excluir
  3. Pastor, o sr casaria um "casal" homossexual? Pregar contra isso é errado? A bíblia está errada? Deus ama o pecador e não a prática do pecado, devemos nos calar quanto a isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estimada Iara, nem é isso que está em jogo nesse momento. Além do mais, a IECLB não faz casamentos de homossexuais. O que importa dizer é que a questão dos direitos humanos é muuuito mais ampla do que os direitos dos gays. E Feliciano se pronuncia de forma racista, discriminatória e excludente. E os direitos humanos foram promulgados pela ONU justamente para proteger os direitos de pessoas excluídas por causa da sua cor, da sua origem, do seu gênero, da sua diferença. Precisamos abrir um pouco mais a nossa visão sobre o que é "normal" e aceitar o diferente. Deus se manifesta de muitas maneiras na sua criação e muitas vezes não queremos aceitar esta ou aquela manifestação... E isso é contra o amor de Deus que nos manda amar os "pequeninos irmãos (Mt. 25.31ss).

      Excluir
  4. Olá, Pastor! Tive acesso a este blog e seu texto via postagem de outro pastor meu amigo no facebook. Exatamente esta a minha posição sobre este (In)Feli(z)ciano, que não representa ABSOLUTAMENTE NADA do que alimenta a minha fé no Deus que é AMOR INCONDICIONAL, que se ofereceu em sacrifício por TODOS. Fé igualmente ofertada a todos que o recebam, como dom, presente de Deus. Este Deus que é AMOR e não incita ao ódio. A postura dese (In)Feli(z)ciano ofende a minha fé!!! Vou divulgar seu texto por que este sim, me representa! E com a grata satisfação de compartilhar com o senhor, além da fé e da posição nesta questão específica, o sobrenome! O da minha família, do meu pai, vem de Santa Maria - RS. Enorme abraço, na paz do nosso Pai de infinito amor!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ana Mari. Que a paz de Deus esteja contigo também!

      Excluir
  5. Olá, Clovis! Li seu artigo no Santa e não pude deixar de comentá-lo aqui no blog. O texto é excelente, do título ao último ponto. Feliciano não nos representa e não representa qualquer outra pessoa que conheça de verdade a mensagem de Cristo. Até porque se ele próprio a conhecesse mesmo, jamais falaria as besteiras que falou. Acompanhando o caso dele e dos "bibliólatras" que o seguem, me pergunto: quando as pessoas irão entender que Deus é muito mais do que um livro com duas mil páginas? Excelente crítica, brilhante pensamento. Abraços!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”