O livre mercado não satisfaz


Vinte anos depois da queda do muro de Berlim, a maioria das pessoas não está satisfeita com o capitalismo. A afirmação é resultado de um estudo britânico, realizado em 27 países, segundo o qual a melhor impressão sobre a economia de mercado ficou por conta dos americanos e dos paquistaneses.

De resto, a insatisfação com o capitalismo impera ao redor do planeta. O estudo da BBC de Londres foi divulgado no dia 9 de novembro. Segundo ele, somente 11% dos entrevistados em 27 países eram de opinião que o capitalismo, em sua forma atual, funciona bem. Para 27% a economia de livre mercado comete muitos erros – na França 43% pensam assim, no México 38% e no Brasil 35%. Em contrapartida nos EUA e no Paquistão um entre cinco estavam satisfeitos com a atual ordem econômica.

Tendo a pior crise econômica mundial da história recente como pano de fundo, 51% dos entrevistados é de opinião que o mercado precisa ser regulado com maior rigor. Em média 23% pensam que uma ordem econômica totalmente nova deva ser criada.

“Parece que a queda do muro de Berlim não representou a vitória derradeira do livre mercado, como se pensava na época”, disse Doug Miller, executivo do Instituto GlobeScan, que em parceria com a Universidade de Maryland, ouviu 29 mil pessoas. “Alguns elementos do socialismo, como a distribuição mais igualitária das riquezas continuem soando bem para muita gente no mundo”, disse Steven Kull, da Universidade de Maryland.

Em 15 dos 27 países a maioria é favorável a um controle maior do Estado sobre as empresas privadas. Em 22 países a maioria deseja que os governos dos países melhorem a distribuição de renda, constatou a pesquisa. (Fonte: Der Spiegel)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”