Exército ignora pedidos da justiça


Segundo o ex-ministro da Justiça José Carlos Dias, uma das maiores dificuldades enfrentadas pela Comissão Nacional da Verdade (CNV), da qual é membro, é a constatação de que muitos documentos sobre a repressão política durante a ditadura foram eliminados. “Muitos arquivos foram queimados”, disse ele.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, coordenador da CNV, conta que a comissão já realizou uma série de requisições às Forças Armadas, “mas ainda estamos esperando resposta”. Queremos saber se há documentos e, se não há, quem destruiu ou quem determinou a destruição, completou Dipp.

Questionado sobre a possível falta de cooperação dos comandos militares aos pedidos da CNV, Gilson Dipp argumentou que “o momento pelo qual passa a sociedade brasileira não justifica que não haja colaboração de todos os órgãos institucionais, inclusive porque eles têm a obrigação legal de informar”. As informações foram colhidas no lançamento da Comissão da Verdade da Ordem dos Advogados do Brasil, ontem dia 26 de julho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”