Um buraco de M...




Esta foto, bem como a informação a seguir, eu encontrei na página do Facebook da Fundação Luterana de Diaconia (FLD), reproduzindo material publicado pela Aliança ACT. Ela calou fundo nas minhas lembranças de infância. Cresci tendo que cavar um buraco todo mês para sepultar uma caixa cheia dos dejetos da família. O impregnante odor da tarefa ainda hoje se prende às minhas narinas, como uma tatuagem indelével.

Quanta facilidade em ir ao toalete hoje em dia e, simples assim, você aperta a válvula de descarga sem se preocupar com o destino do material que acompanha o jorro de água... Se você não se deu conta, este é um privilégio de uma minoria no planeta Terra, da qual você provavelmente faz parte. Em incontáveis rincões, nos quatro cantos do mundo – dizem que essas coisas se faz nos cantos! –, há milhões de pessoas que não têm a válvula da descarga em seu toalete diário.

Pois o dia 19 de novembro é o Dia Mundial dos Toaletes. A Aliança ACT, da qual a FLD é membro, comemorou a data em homenagem a todas as pessoas e organizações que trabalham com comunidades na construção de sistemas de fornecimento de água e de saneamento em áreas rurais e urbanas. É um dia para lembrar que milhões de seres humanos não têm nem o direito básico de ir a um toalete decente para evacuar.

“Nesta foto, José Carlos Jirón Bonilla, um agricultor de Carazo, Nicarágua, cava uma latrina, como parte de um programa executado pelo Centro Intereclesial de Estudios Teológicos y Sociales (CIEETS), com apoio do Serviço Mundial de Igrejas, ambos membros da aliança. Em todo o mundo, programas de ACT buscam criar soluções de saneamento de baixo custo, que ajudam a salvar milhares de vidas a cada ano”, diz o texto postado no Facebook pela FLD.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”