As fadas estão tristes


Dois impérios desviam as atenções dos seus súditos para temas menos problemáticos do que aqueles que queimam as mãos como batatas quentes.

O primeiro reino é o britânico. O casamento de William e Kate veio a calhar para mandar a crise econômica e social direto para debaixo do tapete. E todo mundo festeja e se alegra e deixa se levar pelo conto de fadas. É uma história que se repete. Sabemos para onde caminha e no que vai dar. O que se repete, já se sabe...

O segundo reino é o mais antigo reinado patriarcal da história humana. Roma não “locuta” mais sobre o caliente tema dos abusos, nem sobre a questão do ministério feminino, ou mesmo sobre o necessário fim do celibato. É “causa finita”. Vão beatificar Karol Woytilla/João de Deus/João Paulo Segundo. E todos se deixam levar, mesmo puxando o canto da boca quando se pergunta sobre o excesso de entusiasmo neste processo sumário de beatificação. Até os poloneses estão achando isso exagerado. Mas, quando se precisa tapar o sol com uma peneira, vale. Vale mesmo! Mesmo que as fadas fiquem tristes...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”