A farra vai acabar



Em iniciativa inédita no país, o governo do Rio Grande do Sul decidiu retomar a administração de todas as rodovias gaúchas que, desde 1996, estão nas mãos de concessionárias privadas. São 1.500 quilômetros de estradas estaduais e federais cujos contratos de concessão vencem em 2013 e não serão renovados. O objetivo é reduzir as tarifas de pedágio, extinguir algumas praças e realizar um amplo programa de melhorias.


As rodovias federais passarão para a gerência do DNIT e as estaduais serão administradas pela Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), cuja criação foi aprovada na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul na semana passada. Com isso, o preço nas estaduais pode cair dos atuais R$ 6,70 para em média R$ 4,50 e as federais, depois da reversão, serão gratuitas.

A decisão foi tomada após a avaliação de que o modelo da concessão no estado teve maus resultados nos últimos 14 anos. A privatização das rodovias foi realizada durante a gestão do então governador Antônio Britto, pelo PMDB, e foi duramente criticada pela oposição que o PT fazia à época.

As concessionárias tentaram negociar obras com o governo, propondo diminuição de tarifas em troca da prorrogação do contrato por mais onze anos, mas o governo gaúcho decidiu não aceitar. Ao final do contrato, as praças de pedágios atualmente administradas por nove concessionárias serão revertidas em patrimônio ao Rio Grande do Sul. Os contratos acabam entre junho e dezembro de 2013.

(Com informações da Rede Brasil Atual)

Comentários

  1. Estava na hora, uma viagem daqui de Blumenau até Pelotas custava quase 100 reais em pedágios.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”