A Baratinha da professora


João Luiz e o seu Ford Baratinha 1929 (Foto: Clayton Castelani/G1)

Eis uma história bonita, em homenagem aos professores e às professoras, hoje pessoas tão esquecidas e pouco valorizadas na nossa sociedade. Aos 6 anos de idade, o industrial João Luiz Sverzut (67 anos) tinha duas paixões: a professora da escola da fazenda onde morava em Sertãozinho (SP) e o carro que ela dirigia na época, um Ford Roadster 1929. Meio século depois, Sverzut conseguiu comprar um carro igual ao da sua paixão de infância, que tinha o apelido de “Baratinha”.

O Ford Baratinha custou R$ 35 mil em 2000 e, depois de 12 anos de restaurações para deixá-lo igual àquele da infância, ele vale cerca de R$ 150 mil. Dinheiro que o industrial não faz nenhuma questão de ter nos bolsos. “Este eu não vendo! Procurei no Brasil inteiro e não vou achar outro assim. Ele é igualzinho ao da professora da escola rural”, explica.

Sverzut também faz questão de avisar que a professora Aldenir Rossini, que ainda mora na cidade, continua sendo uma das suas mais importantes lembranças da infância. “Ainda levo flores para ela no Dia dos Professores”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”