Fábrica de Schindler vira museu

A fachada da fábrica de Schindler, que agora virou museu em Cracóvia

O industrial Oskar Schindler era um homem rico e influente. Entre seu patrimônio, havia uma fábrica de utencílios de cozinha, por meio da qual ele ajudou a salvar judeus durante a Segunda Guerra. Localizada em Cracóvia, na Polônia, a antiga fábrica de Schindler agora vira museu que atrai hordas de turistas.

A fábrica de Schindler inspirou o diretor norte-americano Steven Spielberg a rodar, em 1993, o mundialmente conhecido A Lista de Schindler, filme que conta os atos heroicos do industrial que salvou 1.200 judeus durante a Segunda Guerra. Antes com os portões fechados, a antiga fábrica só podia ser observada de fora. Desde meados deste ano, o prédio encontra-se aberto ao público.

A prefeitura de Cracóvia transformou a antiga fábrica em um museu e inaugurou a primeira exposição permanente sobre a vida na cidade durante a ocupação nazista, intitulada Cracóvia: ocupação entre 1939 e 1945. A mostra é composta da biografia de Oskar Schindler e dos funcionários de sua fábrica. Agora a antiga fábrica de utensílios de cozinha virou fábrica de lembranças.

Oskar Achindler no meio dos funcionários da sua fábrica.

Filho de uma família de industriais, Oskar Schindler viveu entre 1908 e 1974. Em outubro de 1939, após a ocupação da Polônia por forças nazistas, ele comprou uma fábrica de utensílios de cozinha em Cracóvia, que até a passagem compulsória das propriedades para mãos de “arianos”, pertencia a judeus. Schindler foi beneficiado pela “arianização” das propriedades dos judeus e acumulou, nos anos que se seguiram, uma fortuna com negócios no mercado negro.

Apesar de pertencer ao partido nazista NSDAP, aos poucos, ele se tornou cada vez mais consciente a respeito da condição aterrorizante dos judeus. Em sua fábrica, ele ocupava 1.200 trabalhadores forçados, que integraram sua famosa lista e foram por ele declarados “imprescindíveis” para a produção bélica nazista. Assim, ele salvou a vida de seus funcionários da morte certa nos campos de concentração.

A fábrica de Schindler foi estatizada em 1947 e transformada na fornecedora de material de telecomunicações Telpod, que fechou as portas em 2002. Três anos mais tarde, as instalações foram compradas pela prefeitura de Cracóvia para transformar a fábrica em museu.

Panelas, vasilhas e pratos de metal simbolizam a história de Schindler com os seus funcionários.

A história de Oskar Schindler é contada onde era o escritório da fábrica, por meio de fotos, documentos e móveis da época. No meio da sala, um grande cubo transparente, cheio de panelas, vasilhas e pratos de metal, serve para simbolizar a história do industrial e de seus funcionários. Dentro do cubo, estão os nomes de aproximadamente 1.200 trabalhadores forçados judeus, cujas vidas foram salvas por Schindler.

Comentários

  1. ......são destes gestos de humanidade que somos carentes para que a história possa relatar.....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”