Americanos arrependidos

O senador reeleito pelo estado do Arizona, John McCain, segura cartaz com a frase "Demitam Pelosi", em referência à líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi

A ESCASSA MAIORIA que colocou Barak Obama na presidência dos EUA derreteu em dois anos. Nas eleições legislativas de ontem, o Partido Republicano reconquistou a maioria na Câmara dos Representantes, passando de 178 para 233 cadeiras, segundo projeção da CNN. Os democratas de Obama despencaram de 255 para 180 cadeiras, segundo esta mesma projeção.

Como o Senado não foi completamente renovado nestas eleições, Obama e os Democratas mantiveram uma pequena maioria nesta casa. Além de colocar um breque nas reformas planejadas, os republicanos prometem derrubar aquelas que já forma feitas por Obama, como a reforma da saúde.

Na prática, esta é a terceira eleição em que houve uma troca de poderes desde 2006. Ainda durante o governo de George W. Bush, a Câmara passou para as mãos dos democratas. Em 2008, Barack Obama foi eleito para a presidência, e agora a Câmara volta ao partido da oposição. Tais mudanças rápidas e radicais no Congresso são relativamente novas na história dos Estados Unidos. Com esse tipo de eleição, os eleitores mandam uma mensagem clara: não gostamos do que vocês estão fazendo, e vamos tirá-los daí”.

O conservadorismo americano mostra a sua força. Obama não é conservador que chega para a maioria dos americanos e esta eleição deixa claro que ou ele entra numa luta inglória contra esta força para manter seu programa de Governo ou Obama terá um segundo tempo mais apagado do que o primeiro na Presidência que, tão duramente, granjeou. Minha aposta vai pela segunda opção.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”