O Dia D do Código Florestal

Ato em Defesa das Florestas - Foto: Antonio Cruz/ABr

O Ato em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu ontem em frente ao Palácio do Planalto em Brasília, é a tentativa derradeira de colocar algum juízo ambiental na cabeça dos nossos governantes. O novo Código Florestal, que é uma colcha de retalhos que procurou agradar a todos os interesses e já não defende mais os nossos biomas, deverá ir à votação no plenário do Senado Federal nesta quarta-feira (30).

O objetivo principal do ato foi de alertar a presidenta Dilma e tentar levá-la ao veto presidencial. O movimento que promoveu o ato tem um milhão e 500 mil assinaturas contra as alterações feitas no texto da PL 30/2010 e que a transformaram num Frankenstein, num arremedo de código, que abre caminho para continuar derrubando as nossas florestas em nome do progresso. Essas assinaturas foram colhidas nos últimos quatro meses.

O Ato em Defesa das Florestas reuniu movimentos sociais, estudantes, artistas, formadores de opinião, defensores em geral da causa ambiental, além de representantes das organizações: CNBB, Greenpeace, IDS, ISA, FBOMS, Fórum de Ex-ministros do Meio Ambiente, FETRAF, Nucleos Universitários, SOS Mata Atlântica, Via Campesina e WWF.

É uma lista de gente que realmente fez e faz muito em defesa do meio ambiente, mas que é tratada pela sociedade como “ecochatos”, “terroristas ambientais”, e coisa pior. Com o poder econômico nas mãos, bem como os principais postos dos legislativos federal (Câmara e Senado) e estaduais, os ruralistas não fazem outra coisa do que desqualificar o trabalho dessa gente. Nós é que vamos sofrer as conseqüências da nossa indiferença como sociedade. Quem vai nos cobrar é a natureza.

Portanto, este último dia de novembro é decisivo. É dia de protesto, de engajamento em defesa das nossas florestas. Para a IECLB isso significa que hoje é o Dia D para dar um testemunho contundente de que a discussão do tema “Paz na Criação de Deus” não foi só conversa de comadres. No mínimo, uma carta pastoral deveria vir de Porto Alegre, que dê apoio a quem deu a cara a tapa contra esta barbaridade que é o novo Código Florestal Brasileiro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”