Crianças são as mais vulneráveis


A Organização das Nações Unidas estima que o mundo abrigue 100 milhões de crianças que vivem ou trabalham nas ruas. Esse contingente constitui um dos grupos mais vulneráveis a abusos de direitos. “Seu mundo é um mundo de desesperança, estigma, discriminação, indigência, pobreza e violência”, disse Navi Pillay.

Pillay é a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos. O tema será objeto de consulta, que começa hoje, em Genebra. Essas crianças devem ter seus direitos fundamentais respeitados e protegidos pelos Estados e pela população adulta. Pillay entende que os governos não podem penalizar crianças que desempenham atividades para sobreviver, como pedir esmolas e vaguear.

Para o operador de redes internacionais para a defesa dos direitos da criança na América Latina e co-fundador do Observatório Selvas, Cristiano Morsolin, a violência social, nas suas mais diversas manifestações como conflito armado, criminalidade, violência institucional e de gênero, “é um dos problemas mais graves que existe hoje na América Latina”.

AgênciaLatino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”