Palestina é admitida na Unesco

Crianças palestinas olham por um buraco para as terras usurpadas.

A adesão da Palestina à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Estado-membro afeta as perspectivas de um acordo de paz, afirmou nesta segunda-feira o governo israelense, ao condenar “a manobra unilateral” palestina. A conseqüência imediata é que o governo dos EUA anunciou que pretende suspender os repasses financeiros à Unesco. Os israelenses deverão seguir o exemplo norte-americano e retirar o apoio financeiro.

Em 2011, a contribuição financeira dos EUA para a Unesco foi de 70 milhões de dólares, o que representa 22% do orçamento da organização. Junto com a parte de Israel, o total de ajuda representa cerca de um quarto do seu orçamento, o que fará com que seja difícil à entidade cumprir sua missão.

A delegação do Brasil votou pelo ingresso da Palestina na Unesco. A decisão foi aprovada por 107 votos a favor, 14 contrários e 52 abstenções, e representa a primeira vitória dos palestinos em um órgão ligado à ONU. Até então, a Palestina era membro observador da Unesco. “Esta votação vai apagar uma pequena parte da injustiça cometida contra o povo palestino”, afirmou o ministro das Relações Exteriores palestino, Riyad al-Malki. A entrada da Palestina leva o número de Estados-membros da Unesco a 195.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”