Típica confusão pentecostal


A falta de conhecimento da história e a leitura fundamentalista das sagradas escrituras são uma combinação perfeita. O resultado, abaixo do traço, é a ignorância total. Um exemplo interessante vem da Guatemala, onde 300 evangélicos saíram às ruas da capital do país ontem, dia 5 de outubro, para criticar o apoio que o presidente da República, Alvaro Cólom, anunciou para a criação de um Estado palestino.

O objetivo do grupo, segundo Felipe Marroquin, um dos organizadores da passeata, é “expressar repúdio”. O apoio ao Estado palestino poderia converter-se numa maldição para a Guatemala, alegam os manifestantes, porque significa ir contra o povo eleito por Deus. “Tudo o que estiver na contramão disso será amaldiçoado”, disseram. Eles entregaram carta contendo o seu posicionamento à Embaixada de Israel e enviaram uma cópia ao primeiro ministro israelense, Benjamin Netanyahu. (com informações de ALC)

Confundir o estado moderno de Israel com o povo de Deus na Bíblia é uma das mais graves rasteiras teológicas do fundamentalismo bíblico, que tem a sua “Roma” nos EUA (Leia mais aqui). Lá, esses cristãos não querem que o Estado Palestino vingue, porque isso significa adiar o juízo final e a volta de Cristo. Enquanto Israel puder contar com o apoio dessa gente, a política dos EUA em relação à Palestina não vai mudar e Israel poderá continuar com sua trajetória assassina na região.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”