Quem ora é demitido


Dezenas de pessoas se concentraram no Aeroporto Internacional de Seattle, Estado de Washington, na semana passada, em solidariedade aos 34 trabalhadores muçulmanos, 22 homens e 12 mulheres, despedidos pela Hertz, empresa de aluguel de veículos, por orarem durante a jornada de trabalho.

A empresa anunciou que, se continuassem com as orações, eles seriam despedidos, contou Asha Farah, uma das demitidas. A maior parte do grupo trabalhava na limpeza dos carros, informou.

No aeroporto, onde a Hertz tem uma loja de aluguel de carros, os manifestantes pediram “respeito à nossa religião”. Cinco vezes ao dia os seguidores de Maomé devem dirigir suas orações voltando-se em direção à Meca.

Estima-se que um terço dos migrantes no Estado de Washington é constituído de muçulmanos, boa parte procedente da Somália, afirmou Jessica Scruggs, da ONG América, que defende o direito dos migrantes.

(ALC - Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”