Diz-me onde dormes e te direi como vives

O quarto deste menino italiano, na periferia de Roma, é este colchão ao relento. Ele e sua família foram parar aí depois de vir do interior da Itália de ônibus após pedir esmola para poder comprar as passagens de ônibus. Sem documentos, não conseguem emprego e os seus pais limpam parabrisas em semáforos para sobreviver. Ninguém na família deste menino é alfabetizado.


O ensaio “Where Children Sleep” (“Onde as crianças dormem”) se propõe a contar a história de crianças através de retratos e fotos de seus quartos de dormir. O belíssimo resultado é fruto do trabalho do fotógrafo James Mollison. A ideia surgiu de uma proposta de construir com imagens um ensaio sobre os direitos das crianças. “Quando o meu editor me pediu para dar uma ideia de como poderíamos discutir os direitos das crianças, eu me vi pensando no meu quarto, o quão significativo ele foi na minha infância e como ele refletia o que eu tinha e quem eu era. Ocorreu-me que uma maneira de resolver muitas situações complexas e questões sociais que afetam as crianças é olhar para os seus quartos”.

Mollison decidiu mostrar as diferentes realidades da vida das crianças através do seu espaço mais íntimo, sem reduzir a abordagem apenas às crianças carentes do terceiro mundo. “Eu queria fazer algo mais inclusivo, mostrando a vida de crianças em todos os tipos de situações e condições econômicas e em contextos sociais distintos”, estabeleceu o fotógrafo.

As fotos dos quartos retratam as condições materiais e as circunstâncias culturais sob as quais as crianças vivem, detalhes que marcam as suas vidas e as fazem adultos únicos, diferentes uns dos outros. Uma seleção de 56 situações compõe o livro “Where Children Sleep, em que uma foto mostra o quarto da criança e outra, ao lado, mostra a criança em fundo neutro. É incrível o quanto esse ensaio diz sobre a realidade das crianças em todo o mundo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”