Hospital grego quis impedir mãe de levar bebê até que cesariana fosse paga

Os impactos sociais da crise na Grécia se aceleram a cada dia. Nesta semana, de acordo com o site português Esquerda.net, uma maternidade de Atenas quis impedir que uma paciente levasse seu recém-nascido para casa por falta de pagamento de uma cirurgia cesariana. Impossibilitada de pagar o valor de 1,2 mil euros, a mãe foi auxiliada por uma médica do hospital que, indignada com a situação, a liberou para levar a criança. No entanto, o total ainda precisará ser pago, mas em parcelas. Conforme detalhou o site, todos os membros da família estão atualmente desempregados, com exceção da avó do bebê, que faz faxinas, e não sabem como irão arcar com os custos mensais.

A crise interminável na Grécia pode até justificar coisas assim. Mas aqui no Brasil estão acontecendo coisas bem parecidas por conta do sanguinário sistema de cobertura privada da saúde. Não podemos nem criticar... mesmo não estando numa crise econômica severa como a grega.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”