Um novo olhar sobre os relacionamentos

O tema de capa da próxima edição da revista Novolhar será sobre os relacionamentos e suas crises, especialmente voltado para o casamento e os relacionamentos estáveis. Falamos longamente sobre suas implicações durante a reunião de pauta da nossa revista, ontem pela manhã.

Muitas portas foram abertas pelos integrantes do conselho de redação da revista que, aliás, diga-se de passagem, não serve de parâmetro para o quadro estatístico que logo aparece nos primeiros relatos sobre o tema.

Todos e todas que participam das decisões da revista são oriundos de casamentos duradouros e estáveis, ou já passaram pela experência de um relacionamento assim e agora vivem em estado de viuvez. Este é o caso de uma das integrantes do nosso grupo. Entretanto, isso não significa que o grupo não conheça as crises dos relacionamentos ou tenha enfrentado, em seus próprios convívios familiares e conjugais, diversas delas.

"A cruz faz parte da vida humana e passar por momentos de paixão faz parte", disse a psicóloga Elisabete, que assessorou a nossa reflexão na manhã de ontem. "Mas não existe somente a cruz. Há o domingo de Páscoa, a ressurreição. E todos nós vivemos momentos importantes de ressurreição também na nossa vida e nos nossos relacionamentos", completou ela.

Elaboramos uma pauta de oito abordagens para a temática. Para escrever os artigos convidamos jornalistas e diversos especialistas, que nos ajudarão a detalhar o conteúdo da Novolhar número 46, de julho/agosto. Estamos cheios de expectativa.

Nossa intenção é auxiliar os casais em seus relacionamentos, não para tornar o matrimônio um peso ou uma regra inviolável, mas para auxiliar na dura tarefa de fugir do que hoje é a regra, ou seja, incluir também os relacionamentos na extensa lista de produtos que se consome. Quando tais produtos se tornam obsoletos ou perdemos o prazer neles, vamos ao mercado e compramos outro. Não pode e não precisa ser assim com os nossos relacionamentos. Eles podem ser duradouros e, nem por isso, precisam ser chatos, modorrentos ou cansativos.

O maior segredo para manter um relacionamento "aquecido", interressante e bonito nem sempre está somente na criatividade na cama, coisa que muitos acrecidam ser o principal. "O perdão é o elemento de ouro nas relações", nos ensinou Elisabete. Todos passamos do ponto, cometemos erros e temos que conviver com nossa imperfeição. Reconhecer isso e perceber que nosso companheiro de viagem passa por isso também é um caminho bem asfaltado para um relacionamento duradouro e prazeroso. Aguardemos a revista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”