Noruega separa igreja e estado

Bispo luterano Eivind Berggrav da Igreja Luterana da Noruega, em 1940.

A união entre igreja e estado chegou ao fim no dia 17 de maio na Noruega. A partir dessa data, a Noruega é oficialmente um estado laico. Uma emenda à Constituição foi aprovada no Parlamento de modo inesperado, durante uma sessão que iria apenas debater a proposta. De agora em diante, igreja deve ser financiada por seus próprios meios e o país se torna uma nação secular, sem religião.

Em um movimento que tomou todos de surpresa, o Parlamento norueguês aprovou a separação entre igreja e estado no curso de uma proposta de modificação da Constituição. Depois de promulgada a nova emenda constitucional, a nação vai se tornar secular, sem nenhuma religião oficial, e o governo não irá mais participar, como fazia até aqui, da nomeação da hierarquia da igreja.

A igreja da Noruega foi formada em 1536, depois da Reforma Luterana, e foi oficialmente chamada de Igreja Luterana Estatal. A realidade nos últimos anos é que, além de financiar seus gastos, o estado envolveu-se em assuntos institucionais.

A ideia de quebrar o vínculo tradicional entre igreja e estado surgiu na própria igreja norueguesa no início dos anos 1970, depois que a igreja encontrou crescente resistência em sua relação com a estrutura estatal, numa sociedade com cada vez menos sentimento religioso. Estudos recentes estimam que apenas dois por cento dos noruegueses frequentam serviços religiosos e que 72 por cento sequer acreditam num “Deus pessoal”.

Os noruegueses detêm o segundo maior PIB da Europa (depois de Luxemburgo) e o terceiro maior PIB do mundo, além de estarem em primeiro do mundo no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) por seis anos consecutivos, de 2001 a 2006 e recuperando a posição em 2009.

O secretário-geral do Conselho Mundial de Igrejas, Olav Fykse Tveit, é pastor da igreja luterana na Noruega.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”