Lustrando a biografia em tempo


Beyoncé anunciou ter doado ao Haiti o dinheiro que recebeu por uma apresentação em uma festa de ano novo dos filhos de Kadafi, em 2009. O show foi na ilha caribenha de São Bartolomeu. Ela recebeu um milhão de dólares para cantar para Mutassin Kadafi e seus convidados. Segundo a porta-voz da cantora, Yvette Noel-Schure, toda a quantia, incluindo comissões destinadas à sua agência, foram doadas há um ano para as vítimas do terremoto no Haiti. “Assim que tivemos notícia que o evento estava relacionado à família Kadafi, tomamos a decisão de destinar esse dinheiro a uma boa causa”, afirmou a assessora.

Beyoncé não é a única estrela pop a doar o dinheiro de suas apresentações para a caridade. A cantora canadense Nelly Furtado também fez show para os Kadafi e jogou no Twitter, em 28 de fevereiro: “Em 2007, recebi um milhão de dólares por uma performance de 45 minutos. Eu vou doar esse dinheiro”, postou.

Outros artistas famosos também já figuraram na lista de pagamento da família Kadafi. Segundo a revista Rolling Stone, no Réveillon de 2008, também em São Bartolomeu, Mutassin Kadafi pagou a mesma quantia para Mariah Carey cantar quatro músicas. Em 2006, Lionel Ritchie se apresentou na Líbia em comemoração ao aniversário de 20 anos do ataque aéreo norte-americano ao país. Um ano antes, o rapper 50 Cent fez uma apresentação exclusiva para a caravana de Mutassin durante o Festival de Cinema de Veneza.

A mesma controvérsia já foi abordada nos anos 1980, quando foi revelado que diversos artistas, como Rod Stewart e os grupos britânicos Queen e Status Quo se apresentaram em um resort sul-africano – em pleno regime do apartheid. Após a polêmica, os três afirmaram ter doado o dinheiro. (Com informações de http://operamundi.uol.com.br)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”