Emagreça com Coca-Cola


Tem certas coisas que devem estar muito acima da nossa capacidade simples mortal de compreender. Uma das áreas que está completamente fora da compreensão das pessoas normais são algumas decisões de órgãos do governo. Algumas dessas decisões para nós inatingíveis, por exemplo, são tomadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Vejam esta, por exemplo.

Todo mundo já sabe que o Brasil está em flagrante regime de engorda. Agora tem criança gordinha até na novela das 9 da Globo. Elas estão em todos os lugares, nas mansões e nas favelas. Todos também já sabem que é necessário fazer alguma coisa. E até nós simples mortais sabemos que esta é uma tarefa que cabe a quem? Obviamente, à Anvisa!

O que faz a Anvisa? Em vez de criar uma campanha publicitária de nível, que conscientize a população sobre o risco evidente do consumo de certos alimentos, abriga e apoia a campanha “Emagrece, Brasil”, que é patrocinada por ninguém menos que a Coca-Cola.

Peraí! Parou, parou! A Coca-Cola? Senhores da Anvisa, refrigerante não é um dos principais motivos da sistemática engorda pela qual a população está passando? Como vocês apóiam uma contradição dessas? O pessoal da Frente pela Regulação da Publicidade de Alimentos (movimento que agrega entidades ligadas à saúde pública, aos direitos da criança e à defesa do consumidor) está de boca aberta com esse inesperado apoio da Anvisa a essa campanha da Coca-Cola.

A entidade diz, em nota divulgada ontem: “Ao abrir suas portas para esta exposição e incluir na programação da 1ª Semana de Vigilância Sanitária, no Congresso Nacional, campanha cujo patrocínio exclusivo é de uma das maiores empresas de refrigerantes do mundo, a Anvisa adota práticas condenadas na área da saúde”. Para a entidade, que deve entender um bocado de alimentos, o fato configura “um flagrante conflito de interesses e descaso com os movimentos da sociedade civil alinhados à ética e à equidade da ação regulatória estatal no campo da alimentação e nutrição”.

A frente se refere à exposição “Emagrece, Brasil”, que foi inaugurada segunda-feira (23), na sede da Anvisa, em Brasília, onde ficará até 25 de maio. Segundo o site da agência, a exposição faz parte de ações organizadas pelas revistas Saúde e Boa Forma, que “alertam sobre os perigos do excesso de peso”. A exposição, segundo o site oficial da Anvisa, integra a programação da 1ª Semana de Vigilância Sanitária no Congresso Nacional, em ações que teriam o apoio do Ministério da Saúde, Ministério da Educação e Ministério do Esporte.

“Os efeitos danosos do consumo de refrigerantes sobre a saúde humana e, em particular, sobre o risco de obesidade são incontestáveis”, diz a nota. “Igualmente conhecidas são as agressivas e abusivas estratégias de marketing utilizadas por empresas de refrigerantes, incluindo em particular aquela que, ironicamente, patrocina a campanha”, argumenta.

Ainda segundo a nota, “a gravidade da epidemia mundial de obesidade e de outras doenças crônicas relacionadas à alimentação tem mobilizado governos nacionais e sociedade civil de diversos países na busca por soluções. Uma delas, já reconhecida como necessária pela Organização Mundial de Saúde, é a necessidade urgente da aprovação de um código de ética que regule a atuação das empresas de alimentos e refrigerantes”.

Mas, talvez a gente comum não tenha mesmo capacidade para juntar A + B em muitas coisas, porque esse tipo de coisa se repete, repete e repete... Lembro de uma campanha em favor do meio ambiente em todos os jornais da RBS que era patrocinada por ninguém menos que a Souza Cruz. Acho que eu não tenho mesmo discernimento para assimilar essa “liberdade”, ampla e irrestrita, de engolir esse tipo de relação incestuosa e promíscua. Talvez essa tal de Frente pela Regulação da Publicidade de Alimentos também tenha problemas para entender isso...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”