De barriga cheia


O Brasil lidera, pelo segundo ano consecutivo, o ranking da ActionAid que mede o progresso de 28 países na luta contra a fome. O novo ranking foi divulgado hoje, 14 de setembro, no relatório “Who’s Really Fighting Hunger?” (Quem realmente está combatendo a fome?). O Brasil é seguido por China e Vietnã e em último na lista está a República Democrática do Congo.

Como em 2009, a ActionAid elogia as políticas sociais adotadas pelo governo federal para reduzir a fome no país, destacando os efeitos benéficos de programas como o Bolsa Família e o Fome Zero.

Mas o relatório também faz críticas, ao dizer que se tem investido muito mais em agrobusiness do que na agricultura familiar. “O governo começou a investir muito mais na agricultura em pequenas propriedades. Entretanto, ainda há um longo caminho para acabar com a fome e reagir às imensas desigualdades históricas que existem entre os pequenos e grandes produtores”, avalia o relatório. “O Brasil tem tido a tendência de concentrar seu investimento em agrobusiness, o que contribuiu para a concentração de terras nas mãos de um pequeno número de pessoas”, completa.

Segundo a ActionAid, a fome causa um prejuízo anual de US$ 450 bilhões para os países pobres. Dos 28 países emergentes analisados no relatório, apenas oito estão a caminho de conseguir cumprir, no prazo previsto, as metas de desenvolvimento do Milênio da ONU para a redução da fome.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”