França proíbe o véu

A francesa Kenza Drider promete desrespeitar lei. Foto: Claude Paris/AP

Passo a passo, rumo à intolerância total. O senado francês aprovou nesta terça-feira 14 de setembro, o veto ao uso de véus islâmicos integrais, que cobrem todo o rosto da mulher, como a burca e o nicab. O veto foi aprovado por 246 votos a um. A maioria dos senadores de oposição se absteve em protesto. A lei já havia sido aprovada na Câmara em 13 de julho. Opositores do projeto têm dez dias para recorrer a medida no Conselho Constitucional, mas isto é considerado improvável por analistas. O presidente Nicolas Sarkozy deve sancionar a lei.

Líderes muçulmanos franceses acreditam que a lei pode elevar o risco de islamofobia no país. O projeto proíbe o uso de véus que cobrem o rosto da mulher nas ruas e em edifícios públicos. O veto deve afetar cerca de 2 mil mulheres e deve entrar em vigor seis meses depois da sanção.

A muçulmana francesa Kenza Drider (foto) disse que vai desrespeitar a lei. “Não é uma lei justa. É contra as liberdades individuais, de religião e de consciência”, disse. A França tem a maior comunidade muçulmana da Europa Ocidental, com 5 milhões de fiéis. O islã já é a segunda maior religião do país, atrás do catolicismo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”