Foi-se o kit, mas o tema permanece







A presidenta Dilma Rousseff vetou o programa do Ministério da Educação chamado de “kit gay” pelos opositores, que são principalmente a barulhenta bancada evangélica e o deputado Jair Bolsonaro. Segundo os noticiários, Dilma não gostou dos vídeos, achou o material inadequado, e determinou que não circulassem oficialmente.

Como você pode ver nos vídeos, o foco do material do MEC está um tanto quanto forçado. Dilma agiu corretamente ao julgar que era preciso mais tempo para buscar uma abordagem melhor do tema. Está faltando pedagogia

Os “bolsonaristas” podem até achar que ela tenha cedido ao barulho deles e que, portanto, devem continuar com a sua luta discriminatória e fundamentalista, porque estão ganhando.

O material foi considerado “inadequado” pela presidenta, o que quer dizer que deve ser melhorado. Sinceramente, não era o caso de o Jean Wyllys pedir que a comunidade gay deixe de votar na Dilma. O próprio Jean sabe que aquela turma é incendiária e absolutamente insana. Por isso, muita calma nessa hora...

O assunto não está encerrado, porque o bullying (entre suas muitas variantes também está a homofobia) é uma realidade terrível no ambiente escolar – até de parte de professores, como se viu recentemente. Um pouco mais de respeito pelo outro é o que se espera de qualquer cidadão responsável e esta é uma postura que deve ser ensinada em casa, mas também na escola e até na igreja.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”