Pedras contra tanques




A organização de direitos humanos israelense B’Tselem acusou o governo de Israel nesta semana de prender e julgar crianças palestinas acusadas de jogar pedras no exército de Israel nos territórios árabes ocupados. O grupo apresentou um relatório, no dia 18 de julho, mostrando que 93% dessas crianças palestinas presas na Cisjordânia foram julgadas em tribunais militares e condenadas a penas de até 20 meses.

Embora os tribunais de Israel proíbam a detenção de crianças menores de 14 anos, militantes da B’TSelem entrevistaram 50 crianças palestinas e 30 delas contaram que foram tiradas de suas casas no meio da noite e que seus pais não puderam acompanhá-las. Mais de 20 disseram que não puderam dormir, ir ao banheiro ou comer enquanto esperavam pelo interrogatório.

O Exército israelense disse em comunicado que atirar pedras é uma “transgressão criminal séria” e que muitas crianças estavam sendo exploradas por “grupos terroristas”. Jogar pedras em tropas e blindados de Israel é algo que as crianças palestinas fazem desde 1987, quando começou a intifada, ou revolta das pedras. E vão continuar fazendo, enquanto não lhes devolverem sua terra e seu país.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”