A União Europeia agoniza


Eu já afirmei aqui, há tempos, que a Europa não iria terminar bem este século, por causa da crescente xenofobia que está se instalando no continente. Agora já acho que veremos mudanças substanciais ainda na presente década.

Ninguém gosta de ver a sua casa invadida sem pedir licença. Ainda mais quando esta casa está cheia de cristaleiras e armários da mais fina louça. Quando há cofres lotados de bens de toda ordem e a garagem abriga carros de última geração. Ninguém gosta, nem mesmo, que invadam sua geladeira sem pedir licença. Ainda mais quando ela está repleta de coisas boas.

E a Europa está se sentindo assim. As pessoas vão entrando, tomando conta, invadindo a geladeira e se metendo até no código que regula o dia a dia da casa. Há medo e angústia no ar. As respostas vão chegando com a mesma força, e algumas são absolutamente exageradas. Desde ordens para esperar ser servido (em lugar de invadir a geladeira sem pedir licença), até expulsões sumárias de dentro da casa estão acontecendo.

Agora a Dinamarca acaba de instalar uma sonora campainha. Só entra quem passa pelos postos de controle de fronteira (mais informações aqui). A decisão do parlamento dinamarquês coloca em cheque o mais importante pilar ainda de pé da União Europeia-UE: o Acordo de Schengen. Por ele, os países que se uniram na UE decidiram que não haverá postos de controle entre os países do bloco e que haverá, portanto, livre circulação de bens e de pessoas, sem barreiras nas fronteiras. A Dinamarca agora decidiu controlar tudo o que passa pelas suas fronteiras. A UE esperneia, grita, bota bronca e até ameaça processar a Dinamarca por causa de sua decisão unilateral. Mas a UE já fala que as barreiras podem vir, em caso de emergência. Do ponto de vista de quem tem a geladeira lotada (ainda!) e sendo invadida sem autorização, o estado de emergência parece estar bem próximo de realizar-se.

Enquanto a direita vai se instalando nos governos e nos postos mais importantes dos governos de vários países, a angústia de ver o Euro derretendo e os países invadidos por gente que a gente não aprecia muito, a coisa vai tomando contornos claros de xenofobia. O medo de perder os privilégios não só fecha as portas da casa, mas vai aumentando uma onda de ódio e repulsa contra os invasores indesejados. Principalmente aqueles que vêm da deflagrada África do norte, onde o caldeirão islâmico e das ditaduras ferve e pede socorro.

O final desta década vai ser bem dramático para a Europa. Primeiro cairá o Euro. Depois, o Acordo de Schengen. A própria União Europeia está na lista. Só Deus sabe o que virá depois. Mas o roteiro já está escrito, e não será um filme do tipo Emotion...

Comentários

  1. É meu amigo... Da última vez que estive na Europa (2007), alemães, noruegueses e dinamarqueses com quem conversei já expressavam seu total descontentamento com o Euro, com a União Européia e com a invasão de extrangeiros em seus países. Eles tinham um receio muito grande de que a cultura, educação e economia de cada país sofreria demais com a União Européia e o passe livre entre os países. Xenofobia pura...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”