Carlos Drummond de Andrade


Hoje, 17 de agosto, no ano de 1987, o Brasil perdia Carlos Drummond de Andrade. O maior poeta brasileiro do século 20 era também cronista, contista e tradutor. Sua obra traduz a visão de um individualista comprometido com a realidade social. Para homenageá-lo, encontrei uma frase que tem uma semelhança impressionante com o que diz o Apótolo Paulo na carta aos Romanos. Compare e veja:

“A minha vontade é forte, mas a minha disposição de obedecer-lhe é fraca.”
Carlos Drummond de Andrade

“Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço.”
Apóstolo Paulo

E, para refletir neste dia, vai um pensamento que é um desafio de vida:
“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.”
Carlos Drummond de Andrade

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”