Ironia: Hitler tinha DNA judeu e africano


Ironia suprema da história, estudos feitos com amostras de DNA dos parentes de Adolf Hitler demonstraram que o Führer tinha ascendência genética africana e judia. O homem que escreveu “Mein Kampf” e provocou o maior genocídio da história em nome da pureza da raça ariana, não era ariano.

A pesquisa foi divulgada pela revista belga Knack. O material utilizado para o teste do DNA foi coletado de 39 parentes do ditador, rastreados a partir de indicações de um jornalista e de um historiador. Eles encontraram o cromossomo chamado Haplogroup E1b1b (Y-DNA) em todas as pessoas ligadas consanguineamente ao líder do Terceiro Reich. Esse cromossomo é raro na Alemanha e mesmo na Europa Ocidental, sendo encontrado com maior frequência nos povos berberes da África, que vivem no Marrocos, na Argélia, na Líbia e na Tunísia, bem como em descendentes de judeus asquenazes e sefarditas, informou o historiador Marc Vermeeren.

A revista Knack fez questão de destacar que as provas do DNA foram testadas em condições rigorosas de controle, para dar segurança absoluta ao resultado. O cientista Ronny Decorte, especialista em genética, admitiu que “é um resultado surpreendente”, chegando a reconhecer que Hitler provavelmente tem raízes no norte da África. Surgiram especulações de que Alois, pai de Adolf, teria sido filho ilegítimo da empregada doméstica Maria Schickelgruber e do judeu de sobrenome Frankenberger, de 19 anos. Historiadores já haviam ventilado a hipótese de que Hitler tinha ancestrais judeus.
Com informações de ALC (http://www.alcnoticias.net/)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”