deficiente e sem recursos?


O jornalista Rafael Bonfim, de Curitiba, tem um blog sobre inclusão que é uma aula sobre acessibilidade e denuncia o preconceito contra pessoas com necessidades especiais. O “Inclusilhado” está abrigado na Gazeta do Povo.

Num de seus posts, ele conta de uma aluna do último ano do curso de Administração que teve a ideia de desenvolver o projeto de um bar completamente preparado para receber pessoas com deficiência e que use desse preparo como diferencial para atrair a clientela. O projeto dela não foi aceito porque os seus professores acharam que não haveria mercado para um negócio desse tipo, porque pessoas com deficiência não saem à noite, não se divertem e não têm dinheiro para isso.

O bar imaginado pela estudante teria “rampas de acesso, cardápios em braile, um profissional com domínio de Libras, banheiros adaptados e as mesas seriam dispostas visando a boa circulação de cadeira de rodas. Era nesse conjunto de medidas que a aluna estava apostando para apresentar um negócio inovador, requisito pontuado pela orientação.”

Os professores do curso da universidade de Curitiba, pelo visto, desconhecem a realidade das pessoas com deficiência no Brasil. Segundo o IBGE, o Brasil tem hoje 45 milhões de pessoas com deficiência. Em 2000 esse grupo chegava 24,5 milhões. Só de invalidez permanente causada por acidentes de trânsito, o número de vítimas por ano passou de 31 mil em 2005 para 152 mil em 2010, a maioria (70%) em acidentes de moto sofridos entre os 18 e os 44 anos de idade. Nesse contexto, tem muita gente que tem dinheiro e vontade de ter um espaço como um bar assim.

Conheça e espetacular blog de Rafael Bonfim, que também é cadeirante desde pequeno e sabe do que está falando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”