Salvem Youcef Nadarkhani


Ativistas dos direitos humanos e políticos de todo o mundo se empenham para salvar a vida do pastor iraniano Youcef Nadarkhani, condenado à morte por renegar a fé islâmica e converter-se ao cristianismo. No mundo inteiro reivindica-se a libertação do pastor de 34 anos, que se converteu ao cristianismo aos 19 anos de idade, tornou-se pastor de uma igreja protestante livre, e agora tem negados os seus direitos de liberdade religiosa no país de maioria muçulmana.

A Sociedade Internacional pelos Direitos Humanos convocou uma vigília mundial em defesa de Nadarkhani. Segundo a entidade, não é possível medir o grau de influência dos protestos internacionais sobre o governo iraniano, mas não se concebe a hipótese de reduzir os esforços na busca por sua libertação.

A justiça revolucionária iraniana condenou Nadarkhani à morte por enforcamento em setembro de 2010, por renegar o Islamismo e propagar doutrinas não-islâmicas. O veredicto foi mantido em última instância em julho de 2011 e poderá ser executado a qualquer momento.

A decisão da justiça iraniana representa uma drástica volta aos métodos da Idade Média,caso seja consumada a decisão de executar alguém por causa de sua opção religiosa, disse um porta-voz da entidade de direitos humanos. O Irã ratificou o pacto internacional sobre direitos civis e políticos, que também contempla a liberdade religiosa como um dos direitos fundamentais da pessoa humana.

As igrejas no mundo inteiro também organizam vigílias e se empenham pela ampla libertação do pastor iraniano. No último final de semana o Facebook foi tomado pela falsa notícia de que Nadarkhani já teria sido executado, o que foi negado pelas autoridades iranianas.

Nadarkhani é desde 2001 pastor numa rede de igrejas domiciliares, à qual pertence também a “Church of Iran” (Igreja do Irã), uma das maiores igrejas domiciliares cristãs no país muçulmano. Até ser preso, ele era ministro de uma comunidade integrada por 400 pessoas cristãs.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”