Passaram a conversa em Dom Dadeus

A Justiça brasileira decretou a prisão preventiva do ex-vice-cônsul de Portugal em Porto Alegre, Adelino D´Assunção Nobre de Melo Vera Cruz Pinto, que é considerado foragido da justiça desde o dia 12 de agosto. A informação é da Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação-ALC. Pinto está sendo acusado de aplicar um golpe de 2,5 milhões de reais na Arquidiocese de Porto Alegre.

Quando diplomata, Pinto disse que o governo de Portugal tinha 12 milhões de reais disponíveis como doação para reforma de templos de comunidades de origem lusa. O dinheiro viria através de ONG de Bruxelas, ligada à Comunidade Europeia, dirigida por Teresa Falcão e Cunha. Mas para se candidatar ao recurso, a Arquidiocese deveria depositar sua contrapartida na reforma, de 30% do valor total.

Em dois depósitos no final do ano, a Arquidiocese depositou 2,54 milhões de reais na conta do vice-cônsul porque este havia dito que o depósito não podia ser feito para o consulado em Porto Alegre por não ter CNPJ na Receita Federal brasileira. Pinto assinou uma certidão em cartório comprometendo-se a não mexer no dinheiro da Arquidiocese.

O vice-cônsul anunciou que o dinheiro da ONG cairia na conta da Arquidiocese até o dia 31 de janeiro. Dom Dadeus Grings, chegou a cobrar explicações de Pinto pelos atrasos por cinco vezes, que alegava que técnicos europeus teriam que inspecionar as obras para a liberação dos recursos. Seriam recuperadas as igrejas Nossa Senhora da Conceição, a Cúria Metropolitana, na capital, e o templo do Bom Senhor, em Triunfo.

Em março, depois de esperar tempo demais, a Arquidiocese procurou a polícia e Pinto, que estava em Lisboa, foi afastado das funções para ser investigado. Agora sem imunidade consular, Pinto é foragido da Justiça brasileira desde semana passada e está sendo procurado pela Polícia Federal e pela Interpol.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”