O tempo se desmancha



Um calendário muito legal esse. Você “desfia” o tempo e vai fazendo o calendário desaparecer. A genialidade da ideia está justamente na transitoriedade. Nada pode fazer com que você recupere nem mesmo um segundo do tempo que desperdiçou. Ele se foi, como um pano desfiado. Faz a gente refletir sobre como anda aproveitando o seu tempo...

Por isso, antes de puxar o fio, é melhor planejar bem o que se vai fazer com o dia que se ganha ao amanhecer. Ele é mais precioso do que qualquer outra coisa que nos atraia ou iluda.

O apóstolo Paulo escreveu: “Vejam bem como vivem. Não vivam como ignorantes, mas como sábios. Aproveitem bem o tempo, porque os dias em que vivemos são maus” (Ef 5.15s). Suas palavras vão na mesma linha de uma antiga expressão latina: “carpe diem” (aproveite o dia).

Na verdade, ficamos desapontados com este conselho, como gente trabalhadora, que não tem tempo nem para tirar férias ou para ter um minuto de lazer. Porque nós sabemos aproveitar bem o tempo e ninguém precisa nos dizer isso.

Estamos sempre correndo atrás da máquina. Nenhum compromisso pode ficar sem atendimento. Além das atividades profissionais normais, ainda descolamos um monte de outras coisas importantíssimas para fazer. Alguns se engajam na sua comunidade religiosa, no clube de serviço, na escola de seus filhos, na associação de bairro, em alguma campanha beneficente, na causa ecológica...

Enquanto isso, os filhos crescem, o relacionamento amoroso se deteriora, as amizades de antigamente desaparecem, o jardim vai sendo consumido pelo mato, aquela sonhada viagem de moto ainda não aconteceu... Aquele check-up que ainda não aconteceu, por absoluta falta de tempo, deve ficar mesmo para depois da morte, porque então os médicos legistas irão procurar saber do que, afinal, a gente morreu...

O que há de errado em tudo isso, para que Paulo nos admoeste dessa maneira? Será que não estamos aproveitando bem o nosso tempo, na proporção em que não temos mais tempo para nada?

É dos índios Guarani uma expressão que diz: “Quando se corre muito, há que parar e esperar pela alma”. Não preciso acrescentar mais nada a essas palavras. Aproveitem bem o tempo talvez signifique TER TEMPO para algumas coisas que andamos esquecendo: olhar uma flor, ouvir o canto de um pássaro, observar o céu estrelado à noite, dizer EU TE AMO a quem de nossa intimidade e um BOM DIA a quem nunca vimos; ter tempo para jogar uma conversa fora, tirar um momento para uma oração, relaxar e curtir a vida... Enfim, andar mais devagar, para que a nossa alma possa acompanhar. Não pude deixar que esses pensamentos me invadissem, ao ver este calendário que vai se desfiando e sumindo... Do mesmo jeito que acontece com a nossa vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”