Qumran digitalizado pelo Google



O Google inova mais uma vez. Desta vez, digitalizou o mais importante documento arqueológico do século 20, os Manuscritos do Mar Morto, também conhecidos como os Manuscritos de Qumran. Nesta segunda-feira, em seu blog, o gigante das buscas anunciou a criação do Dead Sea Scrolls Online (Manuscritos do Mar Morto Online). Em linhas gerais, o projeto reúne os cinco manuscritos do Mar Morto digitalizados e acessíveis a qualquer pessoa na internet.

O site foi desenvolvido em parceria com o Museu de Israel, em Jerusalém, e seu lançamento marca também o início do novo calendário hebraico. De acordo com a AFP, o custo total do projeto foi de US$ 3,5 milhões financiados pela Autoridade de Antiguidades de Israel e pela divisão de pesquisa e desenvolvimento do Google local.

As fotografias dos pergaminhos em alta resolução, feitas por Ardon Bar-Hamma, têm até 1.200 megapixels, resultando em uma imagem até 200 vezes maior do que aquilo que se está acostumado a fazer com as câmeras amadoras. Tanta precisão possibilita que o internauta veja os mais minuciosos detalhes dos manuscritos.

Visite o resultado do trabalho do Google, aqui.

Comentários

  1. Obrigado pela dica.Você sabia que em Maio de 2010 a Erna e eu estivemos in Loco vendo os rolos la no deserto próximo ao Mar Morto? Foi fantástico.Passamos 10 dias em Israel,viajando do norte ao sul,do oeste ao leste: Tel Aviv,Haifa,Jerusalem,Belem,Mar da Galiléia,Tiberíades,Colinas de Golam,Jaffa,Massada,Cesaréia,Mar Morto,Rio Jordão,Betsaida,Berseba,etc.etc.Inesquecível.
    Abraços,Arno

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O ócio e o negócio

O boato do filme Corpus Christi

Origem do termo “América Latina”